Notícia: Abertura do ano de instrução das Forças Armadas Angolanas - 2016-2017


Sua Excelência o General do Exército Geraldo Sachipengo Nunda,  Chefe do Estado Maior General das FAA, presidiu, no dia 01 de Março, no Regimento Aéreo de Caça Bombardeio da Catumbela, a Abertura do Ano de Instrução de Preparação Operativa, Combativa e Educativa-Patriótica 2016-2017.

O ano de instrução visa a preparação combativa educativa-patriótica, bem como elevar a capacidade das unidades e sub-unidades militares, adequando-as às exigências e aos futuros desafios, de modo a serem capazes de reprimir qualquer agressão externa e socorrer a população em casos de sinistros e calamidades naturais. A instrução tem a duração de 10 meses.

No seu discurso o  Chefe do Estado Maior do Exército frisou que os comandantes e chefes de distintos níveis têm a missão de elevar a prontidão combativa educativa, moral, cívica e patriótica do efectivo.

No decorrer do período de instrução, segundo a mesma directiva, é necessário que seja elevada a estabilidade psicológica e moral do pessoal nas aulas de preparação combativa, introduzindo situações de risco e difíceis, que exigem do efectivo esforços físicos e mentais, observando as medidas de segurança, além de concentrar esforços principais na preparação dos órgãos de direcção, com vista a alcançar os níveis exigidos de prontidão.

A instrução militar permite aos efectivos responder a qualquer eventualidade para a defesa da integridade territorial, esses conhecimentos, referiu o General do Exército, podem ser igualmente aplicados em diversos domínios da vida dos efectivos, principalmente no tocante à sua contribuição no processo de reconstrução nacional e desenvolvimento social e económico do país.

O Chefe de Estado-Maior General das FAA realçou que: “A actual crise que o país atravessa não pode e nem deve constituir um factor que provoca impotência para o cumprimento da  missão, de acordo com a nossa constituição. Por isso, reafirmo mais uma vez a necessidade de se transformar a actual crise em factor de inovação e de criatividade e nos tomarmos mais fortes, confiantes com mais sabedoria e sairmos dela com convicção”.

Na ocasião, o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, General de Exército, que falava aos oficiais Generais, Superiores, Militares e Praças durante o acto que presidiu, solicitou aos militares, que mantenham a vontade e a determinação para o cumprimento de forma correcta e cabal do seu dever, que é de garantir a defesa da integridade territorial do país.

"As Forças Armadas Angolanas têm os mesmos problemas que a população, mas também têm os mesmos êxitos que o país possui. Portanto, estamos em igualdade de circunstâncias embora as FAA estejam com outros níveis de organização e desempenho", disse.

O acto terminou com o desfile das tropas em parada seguido da visita de Sua Excelência às Aéreas de Exposição de meios e técnicas em uso nos três Ramos das Forças Armadas Angolanas. Seguiu-se a apresentação de uma peça sobre o apoio dos militares a aldeias na campanha de vacinação contra a febre-amarela, evacuação de doentes por vias aéreas e terrestres e por fim o lançamento de paraquedistas. 

De realçar que os Docentes e Cadetes da Academia Militar do Exército participaram nas apresentações das áreas do Exército.


Publicada aos: 04 De 03 De 2016 | Actualizada aos: 04 De 03 De 2016